Negócios

Fecomércio divulga pesquisa sobre confiança do consumidor fortalezense

O estudo também mostra que 59,8% dos consumidores de Fortaleza consideram que sua situação financeira atual está melhor ou muito melhor do que há um ano.

De acordo com a pesquisa realizada pela Fecomércio Ceará, através do Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento do Ceará (IPDC), o Índice de Confiança do Consumidor de Fortaleza (ICC) do mês de julho pontuou 107,3 pontos. Apesar de ter apresentado queda de -1,6% comparado ao mês de junho (109,0), o índice é superior se comparado a julho de 2018, quando pontuou 102,3.

O componente Índice de Situação Presente (ISP) apresentou redução de -8,6%, passando 108,8 pontos em junho, para 99,4 pontos neste mês – voltando para o campo que indica pessimismo. Já o Índice de Situação Futura (IEF) teve aumento de +3,1%, alcançando o patamar de 112,6 pontos.

Expectativa dos consumidores

A pesquisa revela que, em julho, 46,5% dos entrevistados mostram boa disposição para a compra de bens duráveis, resultado inferior ao observado em junho, quando 53,3% responderam afirmativamente à mesma questão. Dentre aqueles que demonstram maior entusiasmo, destacam-se os consumidores do sexo feminino (53,5% das entrevistadas afirmam que julho é um bom momento para compra de bens de consumo duráveis), do grupo com idade acima dos 35 anos (46,7%) e com renda familiar entre cinco e dez salários mínimos (62,8%).

O estudo também mostra que 59,8% dos consumidores de Fortaleza consideram que sua situação financeira atual está melhor ou muito melhor do que há um ano – taxa inferior à verificada em junho (65,5%). Já as expectativas com o futuro se mostram mais otimistas, com 74,0% dos entrevistados acreditando que sua situação financeira futura será melhor ou muito melhor do que a atual.