Ceará

A farra abusiva de quem deveria fiscalizar o dinheiro do contribuinte e não fiscaliza

Tribunais de Contas driblam o teto constitucional para salários e pagam extras que incluem até auxílio-livro anual de R$ 70,9 mil.

A farra abusiva de quem deveria fiscalizar o dinheiro do contribuinte. Tribunais de Contas driblam o teto constitucional para salários e pagam extras que incluem até auxílio-livro anual de R$ 70,9 mil. Numa prática antiga e persistente, Tribunais de Contas dos Estados, incluindo o TCE-CE mantêm benefícios que elevam os salários de conselheiros, auditores e procuradores.

Por terem natureza política, os TCs têm seus membros indicados pelo Legislativo e pelo Executivo. Muitas vezes são ocupados por políticos ou membros influentes nos estados, o que leva a favorecimentos pessoais e conflitos de interesses, após indicações políticas. Mas, por serem órgãos de controle, deveriam estar na linha de frente, independente, na defesa do interesse público e da gestão do dinheiro do contribuinte.

Um dos exemplos da falta de fiscalização, é a obra do Acquário Ceará que já consumiu e desperdiçou mais de R$ 140 milhões de reais do contribuinte cearense, sem nenhum controle e fiscalização por parte do TCE-CE.