Negócios

Bracher, presidente do Itaú, ergue bandeira branca para a XP: “campanha foi feita para para celebrar”

Candido Bracher, diz que a atual campanha comercial da instituição, bastante agressiva e focada na plataforma de investimentos do Personnalité, não foi feita para criticar ninguém. Sim, foi feita para “celebrar” a satisfação do Itaú.

Em vídeo endereçado a funcionários do banco, o presidente do Itaú, Candido Bracher, diz que a atual campanha comercial da instituição, bastante agressiva e focada na plataforma de investimentos do Personnalité,  não foi feita para criticar ninguém.

A corretora XP, da qual o Itaú é sócio, reagiu com virulência, por julgar que a campanha tem como alvo o seu modelo de venda de produtos financeiros por meio de agentes autônomos remunerados com comissões variáveis a depender do fundo.

“Eu adoro competição, Competição é algo que você pratica com pessoas de quem você gosta, que você respeita”, afirma Bracher, sem citar nomes, para acrescentar que o Itaú, assim como outros bancos, teve de mudar para competir com as plataformas de investimento das corretoras. Passou a vender, por meio da sua plataforma, produtos financeiros de outras instituições, não apenas as suas, e contratou um grande quantidade de especialistas em investimentos.

O presidente do Itaú afirma que a campanha comercial foi feita para “celebrar” a satisfação do Itaú pelas “nossas conquistas” obtidas com a mudança na própria plataforma de investimentos. E como “nós estamos bem em relação à concorrência nesse mercado”. Ao reagir à campanha, a XP divulgou que o Personnalité, do Itaú, vem perdendo diariamente 150 milhões de reais para a corretora, por causa da migração de clientes. Por isso, o banco estaria em “desespero”.