Mundo

Vacina da Pfizer é a mais eficaz com 97%, diz estudo de Israel

Brasil e Estados brasileirão começarão em Maio a serem imunizados com a vacina. O imunizante registrou até 97% de eficácia na prevenção de casos sintomáticos, casos graves e mortes.

4404BB72 7CDC 4802 A48C 97BF07C5BB3A

Estudo de campo em pacientes de Israel aponta que não vacinados têm probabilidade 44 vezes maior de contrair o coronavírus. Imunizante da Pfizer alemã também se mostrou eficaz contra a variante britânica. O Brasil e Estados brasileirão começarão em Maio a serem imunizados com a vacina pelo Ministério da Saúde.

O imunizante registrou até 97% de eficácia na prevenção de casos sintomáticos, casos graves e mortes. Este valor está em linha com a eficácia de 95% relatado pela Pfizer e a BioNTech no ensaio clínico final da vacina em dezembro.

A Pfizer e a BioNTech utilizaram dados coletados entre 17 de janeiro e 6 de março da campanha de vacinação de Israel e descobriram também que a prevenção contra doenças assintomáticas atingiu uma eficácia de 94%, o que significa que a vacina pode reduzir significativamente a transmissão.

A análise também mostrou evidências de eficácia da vacina contra uma variante mais contagiosa do Sars-Cov-2 descoberta no Reino Unido, conhecida como B.1.1.7.