Brasil

Tasso recua, retira assinatura e CPI que investigaria o judiciário é arquivada

O senador cearense atendeu a um pedido do Ministro Gilmar Mendes, que teve como interlocutora a senadora Kátia Abreu (MDB).

O senador cearense Tasso Jereissati (PSDB) recuou e retirou sua assinatura que pedia a criação de uma CPI para investigar o judiciário, conhecida como “Lava Toga”. Ministros do STF atuaram e foram decisivos para arquivamento da CPI da “Lava Toga”.

Tasso, Kátia Abreu e Eduardo Gomes, que assinaram o requerimento num primeiro momento, desistiram antes de a comissão ser instalada. Os ministros do STF trataram pessoalmente do assunto diretamente com os senadores no fim de semana. Segundo Kátia, ela falou por telefone com o ministro Gilmar Mendes, que fez o pedido aos três senadores, antes de recuarem.

Na segunda, 11, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), confirmou o arquivamento por falta de assinaturas necessárias– é preciso o apoio de, no mínimo, 27 dos 81 senadores para a comissão ir adiante. Depois do arquivamento, o presidente do Supremo, ministro Dias Toffoli, elogiou a postura de Alcolumbre no episódio. “O arquivamento pelo presidente do Senado Davi Alcolumbre mostra a habilidade em evitar conflitos entre os Poderes em um momento em que o País precisa de unidade para voltar a crescer e a se desenvolver”, afirmou.