Brasil, Política

Tasso e Cid votam unidos contra o governo e a favor do aumento do fundo eleitoral, Girão é contra o aumento

Governo Bolsonaro teria proposto veto que regulava gasto de R$ 2,034 bilhões, já parlamentares, incluindo Alcolumbre, Tasso e Cid, alegaram que valor seria insuficiente e votaram contra o veto do governo.

A maioria dos parlamentares cearenses votaram a favor do aumento do Fundo Eleitoral, anualmente, derrubando assim veto do presidente Bolsonaro (Aliança) que impedia o aumento dos gastos com campanhas. A derrubada do veto de Bolsonaro, em conjunto com o Senado Federal e a Câmara dos Deputados, beneficiará o fundão eleitoral já para as próximas eleições com R$ 6 bilhões. Com isso, os deputados e senadores poderão definir a cada eleição o valor do fundão custeado com recurso público.

O governo teria proposto gasto de R$ 2,034 bilhões, já parlamentares, incluindo o presidente do senado Davi Alcolumbre (DEM), os senadores cearenses Tasso Jereissati (PSDB) e Cid Gomes (PDT), alegaram que o valor seria insuficiente para financiar campanhas de seus aliados no ano que vem e votaram contra a proposta do governo.

Enquanto isso, outro cearense, senador Eduardo Girão (PODE) se posicionou a favor do veto presidencial que controlava os gastos. Além de Girão, do Ceará, os deputados Cap. Wagner (PROS), Roberto Pessoa (PSDB) e Célio Studart (PV) votaram a favor do veto presidencial.