Cidades

Sem oxigênio, pacientes de UPAs são transferidos para outras unidades

De acordo com fontes ouvidas pela Revista Ceará, só na UPA do bairro Edson Queiroz, 15 pacientes da UPA foram transferidos para o IJF, para o hospital Leonardo Da Vinci e para a UPA Itaperi.

Falta de oxigênio | Falta oxigênio é registrado em UPAs da capital. Já na UPA do Edson Queiroz, pacientes tiveram que ser transferidos, às pressas, para outras unidades. Ontem, o governador do Estado Camilo Santana (PT) falou pela primeira vez sobre a polêmica da possível falta de oxigênio no Ceará e negou, diante do MP-CE, da Assembléia Legislativa e da APRECE, que houvesse a falta de oxigênio para tratar pacientes infectados com o coronavírus no Estado.

Cerca de 15 pacientes da UPA foram transferidos para o (IJF2), para o Hospital Leonardo Da Vinci e para a UPA Itaperi. Enfermeiros e técnicos de enfermagem relatam à @revistaceara, que tiveram que pronar (colocar de bruços) os pacientes para ver se eles aguentavam até a chegadas das ambulâncias, para só daí iniciar a transferência”, relatou três fontes ouvidas.

Por volta das 19 horas, uma criança chegou ao local com falta de ar, mas não havia oxigênio. A UPA do Cristo Redentor também registrou situação parecida: estava com baixo nível de oxigênio e necessitando da evacuação de pacientes internados na Unidade.