Brasil, Ceará

Protestos são registrados nessa sexta-feira, (14) na capital e interior do Estado

Ainda na segunda-feira, (14), o governador do Ceará Camilo Santana (PT) acionou todas as prefeituras do Estado para aderir a Greve Geral promovida pela CUT, MST e os partidos políticos PT, PDT e PSOL. 

Com gritos de “Vamos baixar a porra aqui” e “Vamos sentar a serra”, manifestantes ligados à CUT, MST e aos partidos do PT, PDT e PSOL, protestam agora contra a Reforma da Previdência e cortes na Educação pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL). Na ocasião, não citam os recentes cortes na Educação do Governo do Ceará, também anunciados recentemente por Camilo Santan (PT).

Passageiros de coletivos estão sendo obrigados a descer por manifestantes e encontrar uma segunda opção de seguimento da viajem, na ocasião esvaziam os pneus dos ônibus e assim seguem bloqueando avenidas e ruas em horário comercial nessa sexta-feira, (14). Os protestos foram articulados pelo governador Camilo e prefeituras aliadas. Sobre as manifestações, está basicamente interditada a Av. da Universidade, no local estão a AMC,  Batalhão de Choque.

Ainda na segunda-feira, (14), o governador do Ceará acionou todas as prefeituras do Estado para aderir a Greve Geral promovida pela CUT, MST e os partidos políticos PT, PDT e PSOL. Nesta manhã, a Etufor e o SINDIÔNIBUS admitiram que podem haver paralisações temporárias dos ônibus.