Ceará

Laudo aponta falha do Beach Park na morte de turista

Documento aponta ainda que parque deveria se responsabilizar, checar o peso e a distribuição de ocupantes na boia do Vainkará, onde o turista de São Paulo, Ricardo Hilário morreu em julho deste ano.

Após 4 meses, laudo pericial conclui que acidente com morte de radialista no Beach Park foi causada por ‘excesso de peso’. Documento aponta ainda que parque deveria se responsabilizar, checar o peso e a distribuição de ocupantes na boia do Vainkará, onde o turista de São Paulo, Ricardo José Hilário morreu em julho deste ano.

O turista de São Paulo morreu no trecho final do brinquedo, dois dias após a inauguração da atração. A vítima chegou a receber atendimento no local, mas não resistiu. A boia tombou após a última curva do “Vainkará”, e Hilário bateu com a cabeça no chão do brinquedo.

O toboágua é utilizado por quatro pessoas, que descem simultaneamente na mesma boia. O limite de peso do quatro participantes deve ser de 320 quilos, conforme as normas do brinquedo. Jose Hilário desceu com outras três pessoas que somovam 390 kg, conforme aponta o documento.

O laudo, concluído em 29 de setembro , aponta que os quatro participantes fizeram uso correto do brinquedo, cumprindo as normas de se manterem na posição correta na boia. De acordo com o advogado da família da vítima, João Vicente Leitão, a conclusão do laudo não deixa dúvidas que houve uma série de falhas por parte do estabelecimento. Dentre elas, ausência da verificação dos pesos dos quatro ocupantes da boia. O MP-CE deverá na sequência denunciar o parque.