Saúde

Governo anuncia parceria para produção da vacina de Oxford contra o coronavírus

Ao menos 30 milhões de doses serão distribuídas entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, caso se comprove a eficácia da imunização; acordo prevê até 100 mil doses. Proposta feita pela embaixada Britânica e a farmacêutica AstraZenecapara.

O acordo prevê a compra de lotes da vacina e da transferência de tecnologia para o Brasil. Inicialmente, estão previstos 30 milhões de doses da vacina, que serão entregues ao país em dois lotes: metade em dezembro deste ano e a outra parte em janeiro de 2021. Se comprovada a eficácia, o Brasil deverá produzir mais 70 milhões de doses.

O acordo prevê a compra de lotes da vacina e a transferência de tecnologia – que, se comprovada a eficácia, serão inicialmente 30 milhões de doses entregues em dois lotes: 15 milhões em dezembro de 2020, e 15 milhões em janeiro de 2021, com prioridade para o grupo de risco e para profissionais de saúde.

Após as primeiras duas entregas, segundo o ministério, ainda poderão ser produzidas mais 70 milhões de doses para distribuição a partir do Sistema Único de Saúde (SUS).