Ceará

Girão rebate Camilo: “Inadimissível é não investigar superfaturamentos e possíveis desvios”

Em meu mandato, não há espaço para acordos, “camaradagens” ou “barganhas”, práticas tão comuns na gestão estadual cearense”, alfinetou Girão em resposta à Camilo.

(Foto: Agência Senado)

“Tudo aquilo que incomoda ele [Camilo], vira “Fake News”, alfinetou Girão à Camilo.

Após o governador Camilo Santana (PT) criticar atuação do senador Eduardo Girão (Podemos) na “CPI da Covid” no Senado Federal que pede a investigação de supostas irregularidades na aquisição de respiradores de UTI pelo Governo do Ceará e pela Prefeitura de Fortaleza para o combate à pandemia, Girão respondeu Camilo: “Investigar compras superfaturadas e possíveis desvios seria “inadmissível”?, questionou Girão à Camilo, que classificou como “inadmissível” a postura de Girão em defesa do Governo do Brasil, ou projeto de Bolsonaro.

“Meu esforço é para dar respostas à população sobre compras superfaturadas, calotes de respiradores, desmanche de hospital de campanha e outros temas que levaram milhões dos cofres públicos e, ao mesmo tempo, ceifaram vidas humanas durante a pandemia. Sobretudo em nosso Estado. Defendo na CPI que se investigue a todos; Governo Federal, Estados e municípios. Esse é meu trabalho e não abrirei mão disso, doa a quem doer. Não há espaço para acordos, “camaradagens” ou “barganhas”, práticas tão comuns na gestão estadual cearense”, completou Girão.