Política

Em nova delação, Palocci cita pagamento de propina da AMBEV a Lula e Dilma

Segundo o despacho de Edson Fachin, o interesse da companhia era impedir o aumento de imposto (PIS/Cofins) sobre bebidas alcoólicas, assim pagou propina para Dilma, Lula e até a ele próprio, Palocci.

O ex-ministro dos governos petistas, Antônio Palocci, delatou que “pagamentos de propina” da Cervejaria Ambev foram feitos a Lula e Dilma, durante os governos do PT. Em um despacho sigiloso do ministro Edson Fachin, do STF, aponta que Antonio Palocci relatou em seu acordo de delação premiada à PF “pagamentos indevidos” da Ambev a Lula, a Dilma Rousseff e até a ele próprio.

Segundo o despacho de Fachin, o interesse da companhia era impedir o aumento de imposto (PIS/Cofins) sobre bebidas alcoólicas. Fachin determinou a remessa de 11 desses anexos à Justiça Federal de São Paulo. As acusações do ex-ministro petista estão sob análise da força-tarefa da Lava Jato em São Paulo para pedir mais detalhes e investigar o caso.