Política

Eleições / Evangélicos se unem e fecham apoio a Bolsonaro

Depois de Edir Macedo das Igrejas Universal do Reino de Deus, foi a vez de Wellington Bezerra das Igrejas Assembléia de Deus, declarar apoio ao militar.

Líder da Igreja Universal do Reino de Deus e dono da TV Record, o bispo Edir Macedo declarou na 6ª feira que votará em Jair Bolsonaro (PSL) para presidente.

O PRB, partido ligado à Universal, fechou uma aliança com o candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin. O tucano, no entanto, ainda não emplacou na disputa e deve ficar de fora do 2º turno.

A legenda prepara-se para entrar na campanha de Bolsonaro no 2º turno.

O presidente emérito da Assembleia de Deus, pastor José Wellington, também declarou voto em Jair Bolsonaro:

De todos os candidatos, o único que fala o idioma do evangélico é Bolsonaro. Não podemos deixar a esquerda voltar ao poder”, completou.

Enquanto lideranças evangélicas apoiam Jair Bolsonaro, a Igreja Católica, como dissemos, está dividida nas eleições deste ano, embora todos saibam o que pensa a maioria da CNBB.

Na guerra de notas, o bispo de Palmares, em Pernambuco, dom Henrique Soares da Costa divulgou a sua: defendeu que, no caso de um cristão, “este nunca deve votar em quem defende valores contrários à fé: aborto, dissolução da família, ideologia de gênero, educação sexual aberrante nas escolas, laicismo, etc”.