Negócios, Saúde

Confira o passo a passo do plano gradual da reabertura do comércio no Ceará

Governador detalhou que dois critérios principais foram utilizados para definir os setores que devem retornar primeiro e quais irão ficar para as últimas etapas. Segundo ele, o risco sanitário e a importância socioeconômica foram os fatores determinantes.

Nesta etapa inicial, que irá durar sete dias, 17 segmentos estão autorizados a retomar parcialmente suas operações. Os percentuais de liberação variam de 0,60%, no caso do setor de tecnologia da informação, a 100% para a cadeia da saúde.

“Do dia 1º ao dia 7, serão liberadas algumas atividades, mas tem critérios a serem seguidos. Há uma tendência de estabilização dos casos, principalmente em Fortaleza, mas quero deixar claro que os próximos 7 dias serão avaliado. A Saúde vai avaliar e determinar se é possível prosseguir com as próximas fases ou não”, ressaltou o governador.

No comércio, será autorizada na transição a abertura de lojas ligadas a material de construção, com horários de abertura determinados. Na construção civil, serão autorizadas obras com máximo de 100 operários, com até 31% de retomada. Setor de higiene e beleza, como barbearias, manicures e salões de beleza poderão também abrir. Treinos esportivos, indústria têxtil e de calçados, fabricação de eletrodoméstico e a indústria automotiva também retornarão.

Confira a lista de atividades e os percentuais de liberação desta fase de transição:

– Indústria química e correlatos (30%)
Indústria de químicos inorgânicos, plástico, borracha, solventes, celulose e papel

– Artigos de couros e calçados (17,9%)
Fabricação de calçados e produtos de couro

– Indústria metamecânica e afins (28,7%)
Fabricação de ferramentas, máquinas, tubos de aço, usinagem, tornearia e solda

– Saneamento e reciclagem (30%)
Recuperação de materiais

– Energia (20%)
Construção para barragens e estações de energia elétrica, geradores

– Cadeia da construção civil (31%)
Construção de edifícios até 100 operários obra, cadeia produtiva com 30%

– Têxteis e roupas (12,4%)
Indústria têxtil, confecções e de redes

– Comunicação, publicidade e editoração (10,2%)
Impressão de livros, material publicitário, e serviços de acabamento gráfico

– Indústria e serviços de apoio (0,8%)
Indústria de artigos de escritório e manutenção industrial. Cabeleireiros, manicures e barbearias

– Artigos do lar (16,9%)
Fabricação de eletrodomésticos e artigos domésticos

– Agropecuária (12,4%)
Obras de irrigação

– Móveis e madeira (7,9%)
Fabricação de móveis e produtos de madeira

– Tecnologia da informação (0,6%)
Fabricação de equipamentos de informática

– Logística e transporte (10,8%)
Metrofor, transporte rodoviário metropolitano na RMF e manutenção de bicicletas

– Automotiva (1,9%)
Indústria de veículos, de transporte e peças

– Cadeia da saúde (100%)
Comércio médico e ortopédico, óticas, podologia e terapia ocupacional

– Esporte, cultura e lazer (8,1%)
Treinos de atletas de esportes individuais, além dos clubes de futebol participantes da final do Campeonato Cearense