Ceará

Cearenses revolucionam e criam serviço agregador de Festas e Eventos

Tudo em um só lugar: serviço é uma solução multiplataforma que reúne informações de vários sites de festas, vendas de ingressos e cobertura de eventos

Cinco cearenses desenvolveram um espaço gratuito na internet que reúne as informações sobre os mais diferentes eventos nos quatro cantos do Brasil. O ‘Festa Lá’ ajuda o internauta a pesquisar festas e eventos nas principais cidades brasileiras, que, atualmente, encontram-se descentralizadas em milhares de sites, páginas de redes sociais, perfis de usuários e portais de notícias. Em operação desde o início de junho de 2017, a ideia surgiu da necessidade – segundo seus criadores – de um espaço onde fosse possível compartilhar em apenas um único ambiente a agenda cultural de cada região e o favoritismo do público em cada cidade.

Diversificação –  O site, que ainda está em sua versão ‘beta’, reúne um número impressionante de eventos dos mais diversos segmentos culturais espalhados pelo Brasil e funciona de forma automatizada e colaborativa: o internauta interessado em divulgar festas e eventos poderá sugerir uma inserção no site, depois disso é só esperar a avaliação dos moderadores. Além disso, robôs de busca do ‘Festa Lá’ fazem uma varredura, periódica, em fontes confiáveis para coletar e organizar as informações de cada região. Dentre os eventos listados, há opções para quem gosta de festas, teatro, baladas e shows.

A listagem inclui também os grandes festivais de música até pequenos eventos, além de festivais de cinema, gastronômicos e inusitados. Em Fortaleza, por exemplo, é possível saber mais informações sobre o Samba Brasil, que acontecerá ainda este ano. Empreendedorismo O investidor-anjo do ‘Festa Lá’, José Ueides Fechine, acredita na ideia, e defende a confiança da classe empresarial em frentes de inovação e tecnologia. “No nosso país, o investidor típico está mais preocupado em ter um retorno assegurado e principalmente em não perder dinheiro no curto prazo, aplicando a maioria das vezes em renda fixa bem conservadora”, explica.