Ceará

Ceará / Camilo reconhece impotência e liga para Sérgio Moro

No total já são 45 o número de ataques criminosos registrados em Fortaleza, Caucaia, Horizonte, Maranguape e Juazeiro do Norte.

Governador Camilo Santana (PT) reconheceu a impotência do Estado contra o crime organizado e pela primeira vez, passada às eleições, recuou e pediu ajuda ao novo governo eleito, Jair Bolsonaro. Camilo ligou e pediu ajuda a Sérgio Moro para conter onda de violência no Ceará. “Conversei por telefone com o ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, que se colocou à inteira disposição para o apoio necessário”, disse o governador.

Diante disso, o governador, Camilo Santana (PT), pediu a Moro que tropas da Força Nacional fossem enviadas ao Ceará, mas o ministro de Jair Bolsonaro decidiu que só serão enviadas “em caso de deterioração da segurança”.

O Estado deve receber o reforço de 500 homens da Força Nacional de Segurança, Exército e Força de Intervenção Integrada (Fipi) no combate a criminosos que têm realizado uma série de ataques na Capital e Região Metropolitana, de acordo com pedido feito por Camilo Santana.

A informação é do ex-comandante do Policiamento Especializado do Ceará, coronel PM Antônio Aginaldo de Oliveira, que assume hoje a direção da Força Nacional de Segurança Pública, em Brasília: “O governador retificou o pedido de 500 policiais da Força Nacional para atuar em Fortaleza por um período”, disse.

Ainda segundo o general, a previsão é que o reforço chegue à Capital na próxima semana. O prazo deve ser confirmado em breve. Segundo o ministério, Moro determinou à Policia Federal, à Polícia Rodoviária Federal e ao Departamento Penitenciário Nacional (Depen) que tomem as “providências necessárias” para ajudar a conter a onda de violência no estado.