Ceará, Política

Camilo e Roberto Cláudio decretam regras mais rígidas, o que pode vir a ser considerado “Lockdown”

O lockdown foi alternativa adotada por países europeus, a exemplo de Itália e França, para contenção do coronavírus. Quem desrespeitasse a lei de bloqueio, estava sujeito a multa ou detenção. No entanto, os gestores evitaram mencionar o termo “Lockdown” e ainda não anunciaram as penalidades para quem descumprir.

Evitando utilizar o termo “Lockdown” os gestores Camilo Santana (PT) e Roberto Cláudio (PDT) anunciaram, agora há pouco, a prorrogação do isolamento social até o dia 20 de Maio, e anteciparam o que consideram de “endurecimento das normas contra o coronavírus” na Capital.

Na prática, o Prefeito e o Governador decretaram um espécie de “Lockdown” em Fortaleza, onde a população só poderá sair de casa com justificativa, como ida a serviço essencial. As novas medidas adotadas entram em vigor na próxima sexta-feira (8) e valem até o próximo dia 20 Maio.

O prefeito explicou que as novas regras se dividem em cinco grupos: restrição à circulação de pessoas e veículos em via pública, principalmente do grupo de risco; maior controle na entrada e saída de veículos na Capital; novas regras para funcionamento das atividades essenciais; além de “fazer valer” o cumprimento da proibição de funcionamento de atividades não essenciais. O uso obrigatório de máscaras também vale para Fortaleza.

A fiscalização ficará por conta da Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros. Assim, Fortaleza entrará em fase de lockdown (bloqueio). A medida se caracteriza pela restrição de circulação de pessoas em vias públicas, com atuação das forças de segurança para auxiliar nessa tarefa.