Ceará

Bolsonaro chega ao Ceará e Camilo Santana se recusa a recepciona-ló alegando pandemia

Interlocutores do petista disseram que o motivo da recusa se deve à correria com a pandemia do coronavírus. Só que o motivo, aparentemente, deva ser muito mais político, pois o evento é histórico e Camilo optou por se reservar para não aparecer ao lado de Bolsonaro durante fotos na inauguração.

O governador do Ceará, Camilo Santana (PT), se recusou a recepcionar e acompanhar o presidente da república Jair Bolsonaro ao interior do estado, nesta sexta-feira (26), para inaugurar um trecho da transposição do rio São Francisco.

Interlocutores do petista disseram que o motivo da recusa se deve à correria com a pandemia do coronavírus. Só que o motivo, aparentemente, deva ser muito mais político, pois o evento é histórico e Camilo optou por se reservar para não aparecer ao lado de Bolsonaro durante fotos na inauguração. O que fortaleceria, automaticamente, a imagem de Bolsonaro no Estado.

Há ainda quem diga que a decisão de Camilo Santana deva ser em respeito a Ciro Gomes, seu padrinho político, que também esteve à frente das obras da Transposição quando era ministro do governo Lula e não conseguiu concluir a obra à tempo.

Ontem, Bolsonaro também anunciou liberação de R$ 54 milhões para obras do Cinturão das Águas do Ceará. Presidente foi representado por seu ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho que anunciou a liberação ao lado do governador. Hoje, o governador cearense não só se recusou a acompanhar Bolsonaro, como decidiu não enviar representante.