Política

Bancada evangélica comemora rejeição da criação da lei de “Abuso religioso” pelo TSE

Os deputados Dr.Jaziel Pereira (PL) e a deputada Dr.Silvana (PL) ligados ao segmento cristão conservador no Parlamento, definiram a decisão do TSE como “uma vitória de luta permanente em defesa dos valores mais sagrados da democracia”.

O Tribunal Superior Eleitoral decidiu, por maioria dos votos, rejeitar a possibilidade de criar um tipo penal-eleitoral, para “O abuso do poder por parte de autoridade religiosa”. A decisão foi comemorada pelos deputados da bancada evangélica no Ceará, @drjaziel (PL) e pela deputada @drasilvana_ (PL).

A tese foi proposta pelo ministro Edson Fachin e logo recebeu duras críticas de lideranças de várias religiões. Os deputados ligados ao segmento cristão conservador no Parlamento, definiram a decisão do TSE como “uma vitória de luta permanente em defesa dos valores mais sagrados da democracia”. Silvana citou a liberdade de crença e a liberdade de expressão, ambas inscritas no texto constitucional.”

Os parlamentares criticaram a ideia originária do ministro Fachin por considerarem-na um desvio jurídico da norma constitucional e mais uma tentativa de legislar no lugar da representação popular legitimada pelo voto. “O ativismo político de determinados ministros de tribunais superiores está configurando inadmissível abuso que fere a Carta Magna e agride valores negociáveis do povo brasileiro, como é o caso de nossa religiosidade”, alega Dr.Jaziel.

Já a deputada Dra. Silvana declarou que; “essa expressiva vitória no TSE demonstra que nossa luta em defesa da fé cristã fundada no Evangelho do Senhor Jesus, jamais será em vão e não quedaremos genuflexos diante de ideias esdrúxulas como essa do ministro Fachin, que felizmente foi derrotada no TSE”, disse a deputada estadual. (Foto: Reprodução)