Política

Bancada cearense assina CPI para investigar ‘Operação Lava Jato’

Depois da repercussão negativa na imprensa, deputados solicitam a retirada dos nomes da lista, o que não é permitido pelo regimento da Câmara.

Deputados que estão pedindo para retirar o nome do requerimento da CPI da Lava Jato acusam os líderes dos partidos de não deixarem claro, no momento da assinatura, o objetivo da comissão e quem estava liderando o movimento — o petista Paulo Pimenta.

Isso foi uma sacanagem.” Eles acusam os líderes até de “mudarem o cabeçalho” do requerimento da CPI depois de terem conseguido as assinaturas necessárias (171), o que seria muito grave.

Ontem, o editorial de política da Revista Ceará divulgou a lista dos 190 deputados, incluindo parte da bancada cearense que assinaram o requerimento para criação de uma CPI destinada a anular a Lava Jato — encabeçada por Paulo Pimenta do PT e seus assessores, com a benção de 19 partidos — parlamentares do Ceará não param de mandar mensagens e notas avisando que vão retirar seus nomes.

Veja a lista:

  • André Figueiredo (PDT)
  • Aníbal Gomes (MDB)
  • Chico Lopes (PCdoB)
  • Vitor Valim (PR)
  • Raimundo Gomes (PSDB) (comunicou a retirada do nome)
  • Moses Rodrigues (MDB) (comunicou a retirada do nome)
  • Macedão (PP)
  • Luizianne Linz (PT)
  • Odorico Monteiro (PSB) e Zé Airton (PT)

O regimento interno da Câmara dos Deputados não permite a retirada de assinaturas depois que um requerimento é protocolado na Mesa Diretora. O pedido de criação da CPI da Lava Jato foi apresentado em 30 de maio, ou seja, os pedidos de retirada que estão chegando desde ontem não poderão ser atendidos, em tese.