Direito&Justiça

7 mil candidatos podem ter sido prejudicados por erros na correção de provas da OAB

O MPF afirma que as questões contestadas foram mal formuladas e apresentaram erros grosseiros, falta de precisão e ambiguidade, induzindo milhares de candidatos ao engano.  

O Ministério Público Federal aciona a Justiça Federal do DF para garantir uma nova correção de trechos do exame da Ordem dos Advogados do Brasil sob argumento de que cerca de 7 mil candidatos podem ter sido prejudicados por erros grosseiros na correção das provas.

O Ministério Público afirma ainda que as questões contestadas foram mal formuladas e apresentaram erros grosseiros, falta de precisão e ambiguidade, induzindo milhares de candidatos ao engano.  “Os examinandos que se mostraram atentos à precisão terminológica tiveram que optar por respostas distintas daquelas tidas como corretas”.